Voltar à lista de Rádios FM Voltar à Página Principal

ALPHA FM - 94,9 MHz

AFILIADA DE REDE PAULISTANA DE RÁDIO DE MÚSICA CONTEMPORÂNEA, MAS FEITA NO RIO DE JANEIRO

Escrito em 23 de maio de 2017.

Inicialmente, confira um texto de Monique Cardoso publicado no Jornal do Brasil, de 20 de maio de 2005.

Bandnews FM no ar

Bandeirantes aposta no jornalismo em tempo integral

O grupo Bandeirantes pôs no ar à 0h de hoje a programação da Bandnews, a primeira rede de emissoras FM com jornalismo 24 horas por dia, com transmissão para o Rio de Janeiro (94,9), São Paulo (96,9), Belo Horizonte (89,5) e Porto Alegre (99,3). A cerimônia de inauguração, com a presença do governador Geraldo Alckmin e do secretário de Comunicação do Governo Federal Luiz Gushiken, está prevista para as 8h30.

A nova rede chega ao mercado explorando o conceito all news de comunicação. São jornais de 20 minutos cada, com noticiário completo e ininterrupto, incluindo informações nacionais, internacionais, locais, de serviços e de trânsito. Ao final de cada dia terão ido ao ar 72 edições.

O diretor geral da Band Rio, Daruiz Paranhos, garante que a programação não será cansativa nem repetirá o modelo utilizado pela CBN, do Sistema Globo de Rádio, na AM.

Nosso grande diferencial é estar na FM. O perfil da rádio é mais jovem e mais dedicado ao público feminino. Além das notícias, colunistas vão garantir um complemento nas informações - explica Daruiz.

No Rio de Janeiro, para ocupar a faixa 94.9 do dial, o grupo Bandeirantes fez um acordo operacional com o grupo Fluminense, que detém a concessão da freqüência. Assim, a rádio Fluminense, voltada à música, sai mais uma vez do ar.

O grande nome da rádio é o jornalista Carlos Nascimento, também da TV Bandeirantes, que será âncora no horário nobre da programação, das 7h às 9h.

Queremos dar um tom de conversa ao jornal. As locutoras vão ler as notícias, chamar as reportagens, e eu entro para fazer a costura, repassar os assuntos principais e fazer os comentários de arremate - diz Nascimento.

O âncora explica que, inevitavelmente, as notícias mais importantes voltam em várias edições do jornal, mas sempre com abordagens diferentes do tema, com novos entrevistados.

O grupo de comunicação constatou que o tempo que se leva de casa para o trabalho é de no mínimo 20 minutos. Daí o formato escolhido para a Bandnews. Dentro desse curto período, a rede assume o compromisso de informar bem quem está sintonizado.

Obedecendo ao slogan Em 20 minutos, tudo pode mudar, a emissora espera ocupar um nicho ainda não explorado pelo rádio. Apesar de as mulheres serem parte forte do público-alvo, não haverá assuntos do estilo copa-cozinha. A mulher visada pela rádio é urbana, moderna, trabalha fora, freqüenta academia e precisa economizar tempo. Entre locutoras e colunistas, são mais de 15 mulheres na grade diária. A diversidade de sotaques também será valorizada.

Respeitar a velocidade normal da fala e utilizar vinhetas com sonoridade relaxante dará um ar mais leve, mais ao estilo do Rio. Usamos como referência a Rádio JB - completa Nascimento.

Entre os colunistas estão Dora Kramer, na política; Cláudia Matarazzo, com etiqueta empresarial; a dermatologista Shirlei Borelli, que fala de estética e beleza; e Roberto Avallone, que aborda o futebol.

Cadeiras rangendo e celulares foram destaques no dia da inauguração da filial carioca

A programação ouvida no primeiro dia da Band News FM 94,9 desmentiu várias promessas feitas por seus profissionais.

Para começar, sua programação chegava a ser mais chata e repetitiva que a da rival CBN AM 860.

Quanto às vinhetas, de forma alguma tinham a "sonoridade relaxante" prometida. Pelo contrário: eram enervantes e uma imitação clara das vinhetas da Jovem Pan FM.

A Band News prometia não seguir o formato da CBN. Fez pior: passava o dia todo dando notícias e entrevistas curtas. Nenhum assunto era aprofundado, de modo que o ouvinte ficava mais desinformado do que antes. Ouvia um monte de notícias, mas acabava não lembrando de quase nada, depois.

Por isso, afirmar que "usa como referência" a saudosa JB AM era uma blasfêmia imperdoável.

A Band News chegava a ser menos ágil do que sua irmã do AM, a Rádio Bandeirantes paulistana, que tem uma ilegítima repetidora em FM, mas tem jornais ao menos audíveis.

A presença de importantes autoridades de partidos "opostos" na inauguração da rede serviu para mascarar a "imparcialidade" da rádio. Como se não houvessem outras correntes de pensamento diferentes do PSDB e do PT. Todos sabem que os dois partidos apátridas são gêmeos siameses gestados desde os anos 60. Seus fundadores foram separados em algum ponto dos anos 70. A rivalidade PSDB & PFL vs. "esquerda" (incluindo os "radicais" PSOL, PSTU e PCO) não passa de uma fraude.

No caso de todo o grupo Bandeirantes, é público e notório que suas emissoras sempre foram ligadas ao grupo político paulista que fundou o PSDB durante a Constituinte dos anos 80.

As piores rádios são aquelas que se julgam acima do bem e do mal, como a Band News FM. Pelo jeito, ela vai repetir a mesma mania da irmã Bandeirantes AM: se comportar como se fosse "Ministério Público".

A Band News 94,9 entrou no ar absolutamente sem nenhum anúncio comercial que pudesse ser classificado como "pago". Só foram ao ar anúncios do próprio grupo Bandeirantes (dos canais de TV por assinatura Band News e Band Sports, das "abertas" TV Band e Rede 21, e possivelmente da TV Terraviva) e do jornal O Fluminense. Indicativos de que a rádio não tinha suporte comercial algum e de que o Grupo Fluminense permaneceu sendo detentor da outorga da ex-Fluminense FM. A própria Band News chegou a ser anunciada pelos locutores como "Band News Fluminense".

De todos os graves defeitos da Band News, até hoje o maior deles é o de ser uma "AM em FM", corrompendo a segmentação do FM e fazendo concorrência desleal com as rádios AM, ainda não digitalizadas.

No dia de sua estréia, a própria Band News carioca foi vítima de sua usurpação do formato AM: nos horários locais, ouvia-se claramente o ranger das cadeiras e o som estridente dos celulares tocando no estúdio.

Mesmo com os problemas evidentes, a Band News Fluminense faturou o suficiente para se manter e criar uma imagem de sucesso. Para cortar custos, o Grupo Bandeirantes decidiu extinguir a MPB FM 90,3 (detentora de outorga própria) e transferir para lá toda a programação da Band News FM carioca. Entre 1º de fevereiro e 22 de maio de 2017, a Band News transmitiu simultaneamente em FM 90,3 e 94,9.

O Grupo Bandeirantes decidiu manter o arrendamento da Fluminense FM 94,9. Em 22 de maio de 2017, às 11h, entrou no ar na frequência a Alpha FM, afiliada carioca da rede Alpha FM, liderada pela rádio homônima paulistana especializada em música contemporânea com ênfase em música internacional. Por enquanto a Alpha FM 94,9 tem apenas música e vinhetas, mas a previsão é que passe a ter programação completa a partir de 1º de junho de 2017, data sujeita a alterações. A programação deverá contar com uma operação local no Rio de Janeiro: programação própria, com equipe de locução feminina residente no Grande Rio.

O projeto da Alpha FM 94,9 é fruto da parceria firmada entre os grupos GC2 (Grupo Camargo de Comunicação, o mesmo detentor da 89 FM paulistana) e Grupo Bandeirantes de Comunicação, utilizando a frequência arrendada da Fluminense FM 94,9, do Grupo Fluminense.

DADOS DA RÁDIO

Entrada no ar (Band News Fluminense FM): 20 de maio de 2005
Entrada no ar (Alpha FM): 22 de maio de 2017
Confira a história pregressa da Fluminense FM nos textos da nossa página História.

Sede da outorga: Niterói

Alcance: Grande Rio e arredores. Possui dois parques de transmissão no Rio de Janeiro: um no morro do Sumaré e outro na Serra do Mendanha (Zona Oeste carioca).

Endereço: Rua Álvaro Ramos, 350 - Botafogo - Rio de Janeiro - RJ

Voltar ao Início Voltar à lista de Rádios FM Voltar à Página Principal